TCE/SC premia vencedores do concurso de redação “Corrupção – e eu com isso?” | Tribunal de Contas SC
  • Enviar por e-mail

“Mudaremos essa sociedade corrupta?”, indaga no título de seu trabalho a aluna Alana Raissa dos Santos, da Escola de Educação Básica Isidoro Silva, de Anita Garibaldi, classificada em primeiro lugar no III Concurso de Redação do Projeto “TCE na Escola”. “Precisamos apenas fazer nossa parte e nosso dever, incentivando familiares e colegas a fazerem o mesmo: contribuir com o TCE na fiscalização e conscientização para tentarmos diminuir os atos de corrução. É mais do que necessário mudar o nosso presente para melhorarmos o futuro de nosso país”, concluiu.

Alana dos Santos e os estudantes Mateus Ezequiel da Silva, da Escola de Educação Básica Dois Irmãos, de Presidente Castelo Branco, e Tamires Fernandes, da Escola de Educação Básica Dr. Frederico Rolla, do município de Atalanta, autores dos trabalhos classificados em 2º e 3º lugares, respectivamente, participarão da solenidade de entrega de prêmios do III Concurso, no dia 24 de setembro (quarta-feira), às 16 horas, no Plenário do Tribunal de Contas de Santa Catarina, em Florianópolis. O ato contará com as presenças do presidente do TCE/SC, conselheiro Julio Garcia, com participação prevista de representante da Secretaria de Estado da Educação (SED), Conselho Estadual de Educação, Ministério Público de Santa Catarina e Controladoria-Geral da União no Estado.

Com o tema “Corrupção – e eu com isso?”, a terceira edição do projeto, promovido pela Corte de Contas com a parceria da SED, teve como objetivo propiciar aos cerca de 112 mil estudantes da rede estadual de ensino, matriculados no 1º ano do ensino médio, a oportunidade de refletir e discutir sobre os amplos aspectos que envolvem a corrupção e os males advindos desta prática e contribuir para a consolidação de uma cultura de responsabilidade cidadã.

Na solenidade no TCE/SC, os três vencedores e seus professores orientadores serão premiados com tablets e suas escolas receberão kits de livros de literatura, um projetor multimídia e um computador. Os alunos vencedores também serão contemplados com uma viagem à Florianópolis junto com os professores orientadores, de 23 a 25 de setembro.

Entre as atividades da programação cultural, estão previstas visitas ao Projeto Tamar — dedicado à preservação de espécies de tartarugas marinhas ameaçadas de extinção —, na Barra da Lagoa, e ao Museu Histórico de Santa Catarina, que funciona no Palácio Cruz e Sousa, na Praça XV de Novembro, no Centro. A aluna classificada em primeiro lugar virá à Florianópolis acompanhada, também, dos colegas de classe.

Os primeiros colocados na etapa regional e seus professores orientadores serão agraciados com menção honrosa. No espaço do “TCE na Escola”, no Portal da Instituição (www.tce.sc.gov.br) estão disponíveis os alunos que tiveram suas redações escolhidas para representar as Gereds na etapa regional e os classificados na etapa estadual.

As três redações vencedoras foram escolhidas — a partir da avaliação dos 36 trabalhos selecionados na etapa regional — por uma comissão julgadora integrada por representantes do TCE/SC. Participaram da seleção as redações escolhidas para representar 35 gerências regionais de educação (Gereds) e o Instituto Estadual de Educação, o maior estabelecimento de ensino da rede pública com sede em Florianópolis. A Gered de Laguna não encaminhou participante.

 

Jovens mais participativos

A proposta da terceira edição do Projeto “TCE na Escola” de incentivar alunos do 1º ano do ensino médio da rede pública estadual à reflexão sobre os males que a corrupção acarreta à sociedade e a importância de ser um jovem participativo e consciente do seu dever de cidadão parece que foi alcançada.

Os autores dos três primeiros trabalhos selecionados, com estilos próprios, demonstraram ter compreendido o papel do órgão fiscalizador e de cada um no combate à corrupção.

“Da mesma maneira nessa luta contra a corrupção contamos com o apoio de um órgão público, o TCE (Tribunal de Contas do Estado). Esse órgão age a partir de denúncias que precisam ser feitas por nós quando vemos desperdício de dinheiro público, superfaturamento de obras e tantas outras ações corruptas que acontecem por aí.” Essa é a opinião de Alana Raissa dos Santos que teve como orientador o professor Carlos Eduardo Canani.

“Corrupção: como combate-la?” foi o título escolhido por Mateus Ezequiel da Silva classificado em 2º lugar. “A fiscalização está aumentando, o Tribunal de Contas está realmente mais atuante, mas o papel da população também é importante, cabe a nós denunciarmos e fazermos acontecer, pois quem mais interessado que a população para buscar um governo justo, exercer sua democracia, soberania?”, questiona o aluno da Escola de Educação Básica Dois Irmãos, de Presidente Castelo Branco, orientado pelo professor Clévio Salvadego.

“A corrupção tornou-se, nos dias atuais, senso comum”, escreveu a 3ª colocada, Tamires Fernandes, da Escola de Educação Básica Dr. Frederico Rolla. “O brasileiro só critica e não fiscaliza, e o órgão que é feito para isso (TCE) apesar de todos os esforços empenhados parece não ter credibilidade perante a população e isso se deve ao fato de que, sozinho, o Tribunal de Contas do Estado não consegue lograr êxito.” Sob a orientação do professor Evandro Cristofolini, a estudante de Atalanta manifesta a importância da sociedade fiscalizar. Para ela, se cada pessoa, no dia-a-dia, não fiscalizar também, a situação da corrupção não vai mudar.

 

Enviar conteúdo por e-mailX

Separe os endereços por vírgula