• Enviar por e-mail

Havia um certo sentimento de frustração numa turma do terceiro ano da Escola Estadual de Educação Básica Dom Orlando Dotti, de Caçador. É que, diferente dos demais colegas do colégio que também concluíram o ensino médio neste fim de 2017, os estudantes da 301 não conseguiram se organizar para preparar a sua festa de formatura e comemorar o encerramento de um período de amizade, compartilhamento e convivência. Mas eis que, por ironia do destino – acrescido, claro, ao mérito pessoal de Felipe Frizon, 17 anos, estudante que venceu o IV Concurso Estadual de Redação, do Tribunal de Contas de Santa Catarina (TCE/SC) –, a turma acabou sendo contemplada com uma excursão a Florianópolis, com direito à passeio cultural e atividades de lazer e integração.

A extraordinária notícia chegou à classe numa sexta-feira, dia 10 de novembro, e pouco mais de duas semanas depois, no dia 28, os alunos embarcavam no ônibus que os levaria ao litoral. A euforia, embalada ao som de violão e muita música durante as quase 10 horas que separam a simpática cidade do meio-oeste catarinense da capital do Estado, transformou-se em encantamento na chegada e durante os três dias que se seguiram na Ilha de Santa Catarina. Encanto pelo prazer de curtir tanta coisa junto, não apenas entre eles, como entre os quatro novos colegas que se integraram à turma, também classificados no concurso: Andrei Albani (Bom Jesus do Oeste), Alana Bruna Fernandes Cecatto (Coronel Martins), Amábile Paes Inácio (Joinville) e Hellen Cristina Bison (Caibi).

Foram dias de muitas experiências e novidades, como um talvez inédito caminhar descalço pelas areias fofas da praia, antes só contemplada pela TV ou pela internet. “Banho de mar não é a mesma coisa que banho de rio, aqui o fundo é liso, não machuca o pé”, comentou a jovem de Caibi, maravilhada com a beleza da praia da Barra da Lagoa, antes da visita ao Projeto Tamar.

Mas não foi somente a vastidão do oceano que encantou os adolescentes. Eles também se entusiasmaram com os pratos gastronômicos tão distantes da sua realidade, com a curiosidade e o aprendizado sobre o projeto de preservação das tartarugas marinhas, com o passeio pelo shopping center para apreciar tantas vitrines e decorações natalinas e assistir a um filme na telona em 3D; e até mesmo se sentiram “importantes” com a oportunidade de ler a sua crônica ou ver seu amigo no púlpito de um ambiente tão formal e representativo como o auditório do TCE/SC, emoção evidenciada no entusiasmado aplauso de pé, após a leitura. E para alguns daqueles que residiam ainda mais distante da turma de Caçador, a inesquecível experiência da primeira viagem de avião.

Tantos momentos ricos em tão poucos dias! Experiências e aprendizados que certamente serão levados para a vida desses 23 jovens catarinenses!

Enviar conteúdo por e-mailX

Separe os endereços por vírgula