• Enviar por e-mail

O Tribunal de Contas de Santa Catarina (TCE/SC) apresentou, nesta quarta-feira (8/8) à tarde, a proposta de implantação do Sistema Integrado de Gestão (SIG), durante audiência pública da Federação Catarinense de Municípios, na Assembleia Legislativa. O projeto do TCE/SC, em parceria com a Fecam, visa integrar a base de dados das contas públicas dos 295 municípios catarinenses e câmara de vereadores. O auditório Antonieta de Barros estava lotado.

O presidente da Fecam, prefeito de Itajaí Volnei Morastoni, enfatizou a necessidade da modernização dos sistemas. “Estamos conhecendo a proposta, debatendo com os prefeitos e apostando cada vez mais no conceito de gestão eficiente."

Samuel Dal-Farra Naspolini, promotor de Justiça do Ministério Público de Santa Catarina e coordenador do Centro de Apoio Operacional da Moralidade Pública, destacou, durante a cerimônia de abertura, a coragem do Tribunal de Contas e da Fecam ao capitanearem o projeto que pretende reduzir custos, facilitar os processos e dar mais transparência nas principais atividades da gestão pública: tributária, pessoal e licitações. “O país passa por um momento histórico em que a sociedade cobra cada vez mais um serviço público eficiente e transparente”, disse Naspolini

O presidente do TCE/SC, conselheiro Dado Cherem, também salientou a importância da maior transparência que poderá ser obtida por meio do SIG, permitindo acompanhamento online das atividades entre o órgão de controle externo e as prefeituras. “Não vamos permitir que este projeto, ainda em fase de construção, se transforme numa guerra comercial por conta de eventuais interesses contrariados. Vamos trabalhar cada vez mais pela eficiência na gestão pública”, afirmou Cherem.

A apresentação da proposta do SIG foi feita pelo diretor de Controle dos Municípios (DMU) do TCE/SC, Moisés Hoegenn. Ao longo dos últimos dois anos, o TCE/SC montou comissão interna dedicada em conceber um novo modelo tecnológico, cujo a ideia baseia-se em uma plataforma única e integrada entre todos os jurisdicionados. “Trata-se de construção coletiva e pública”, destacou Hoegenn.

 

Crédito das fotos: Douglas Santos (Acom-TCE/SC).

Enviar conteúdo por e-mailX

Separe os endereços por vírgula