Vencedora da redação sobre fiscalização do dinheiro público recebe prêmio do TCE/SC

 

(TCE Informa)

 

(apresentador)

Para a estudante Thauani Gabrielli Iarocheski, de 13 anos, da Escola de Educação Básica Professor João Romário Moreira, de Jaraguá do Sul, a fiscalização sobre o uso do dinheiro público é papel de todos os cidadãos. Este foi o argumento principal do seu trabalho vencedor no II Concurso de Redação — “O papel do Tribunal de Contas e do cidadão no combate ao desperdício do dinheiro público”, promovido pelo TCE/SC e Secretaria de Estado da Educação. A estudante recebeu o seu prêmio em solenidade realizada nesta quarta-feira (27), no Plenário do Tribunal de Contas, em Florianópolis.

 

Em segundo lugar, ficou Brenda Luiza Matte, 12, da Escola de Educação Básica São Luiz, de União do Oeste, e em terceiro, Natalie Rodrigues, 11, da Escola Básica Antônio Morandini, de Chapecó. As três vencedoras e seus professores orientadores foram premiados com um tablet de 10 polegadas, cada um, e suas escolas receberam kits de livros de literatura.

 

A turma de escola da primeira colocada também foi convidada a participar da cerimônia. Thauani falou da emoção em vencer o concurso que mobilizou 18.281 estudantes dos 6º e 7º anos do ensino fundamental da rede pública estadual.

 

(aluna)

Ah..eu fiquei muito feliz. Eu e minha mãe comemoramos “um monte”. Ainda mais depois que disseram que eu ia poder levar toda a minha turma; que ia ganhar um tablet. Daí eu fiquei muito feliz. Tá sendo muito legal. Eu pesquisei bastante sobre o assunto e tudo o que eu escrevi foi pensando no que está acontecendo em todo o país. Que se a gente cuidar e denunciar provavelmente tudo pode mudar na questão de corrupção com o dinheiro público.

 

(apresentador)

O professor orientador da estudante, Jair Mendonça,afirmou que os jovens estão mais informados sobre o tema e que a redação ajuda a expressar o entendimento para uma utilização mais transparente dos recursos públicos.

 

(professor)

O jovem está bem mais informado. Com o acesso à informática com essas informações todas, ele está bem mais informado. Às vezes, até apanhamos deles. É que às vezes a gente não se dedica tanto e eles realmente passam por cima, com informações que a gente não tem.

 

 

(apresentador)

Além de participar da solenidade, as três alunas ainda participaram de uma agenda cultural que começou na terça-feira (26) e vai até esta quinta-feira (28).

 

As três redações vencedoras foram escolhidas — a partir da avaliação dos 35 trabalhos selecionados na etapa regional — por uma Comissão Julgadora Mista, integrada por representantes do Tribunal e da Secretaria de Estado da Educação, sob a coordenação do Instituto de Contas do TCE/SC. Participaram da seleção as redações escolhidas para representar 34 gerências regionais de educação (Gereds) e o Instituto Estadual de Educação, o maior estabelecimento de ensino da rede pública, com sede em Florianópolis. Os 35 alunos com redações selecionadas na etapa regional irão receber menção honrosa.A secretária-adjunta de Estado da Educação, Elza Marina da Silva Moretto, comentou a importância da parceria.

 

(secretária-adjunta)

.. ajuda muito a consolidar a formação do estudante. Faz parte do aprendizado este tipo de encaminhamento. Então a gente quer parabenizar o Tribunal de Contas por essa iniciativa tão sólida, tão boa. Deverá haver outras tantas e é dever nosso como secretária da Educação apoiar iniciativas desse porte.

 

(apresentador)

O II Concurso de Redação faz parte do projeto “TCE na Escola”, iniciativa do Tribunal de Contas de Santa Catarina que tem o apoio da Secretaria de Estado da Educação (SED). O objetivo é promover uma maior aproximação do órgão responsável pela fiscalização das contas públicas catarinenses da comunidade escolar e contribuir para a formação de novos atores para o exercício do controle social, por meio da educação para cidadania. Para a Rádio TCE/SC, o presidente do Tribunal, conselheiro Salomão Ribas Junior, destacou a necessidade de fomentar a discussão do controle social no ambiente escolar.

 

(presidente)

A escola é um local excelente para começar essa discussão, por que é um local onde as crianças começam a aprender as regras mais ampliadas de convivência social. Isso começa na família, mas é uma convivência mais restrita. Depois vai se expandindo para a vizinhança e ganha a dimensão efetiva na escola. Então, se é um local onde você amplia a convivência social é um local ideal para você ensinar ou reavivar sentimentos de participação coletiva. E a participação coletiva é base do controle social. Então a escola pra mim é um local excelente.

 

 

(TCE Informa)

 

Tempo: 04’41’’