TCE/SC disponibiliza posto de coleta de medicamentos vencidos e inservíveis | Tribunal de Contas SC
  • Enviar por e-mail

O que fazer com os remédios que não são mais utilizados? Seja por estarem fora do prazo de validade ou por simples ausência de necessidade, esses resíduos não podem ser descartados no lixo comum. O Tribunal de Contas de Santa Catarina (TCE/SC), por meio de mais uma ação do Programa “Agenda Ambiental na Administração Pública” (A3P), possui um posto de coleta desse material na Coordenadoria de Assistência à Saúde do Servidor (Cass). A iniciativa pretende evitar o descarte indevido de medicamentos que podem causar a contaminação de rios e corpos d'água, prejudicando o meio ambiente.

A coordenadora da Cass, Silvana Salum, informa que, além dos remédios vencidos e resíduos perfurocortantes, como seringas e agulhas, são recebidos medicamentos aptos para o consumo, desde que devidamente fechados nos envelopes. Como o número de doações e descartes ainda é baixo, o coordenador do Programa A3P no Tribunal, auditor fiscal de controle externo Azor El Achkar, explica que, por enquanto, não há um coletor específico no setor. “Basta que os interessados levem o material diretamente à Coordenadoria, que fica no 5º andar”, destaca.

A chefe de Divisão de Manutenção da Coordenadoria de Infraestrutura, e integrante da Comissão Gestora da A3P, Elaine Zanellato, é uma das pessoas que utiliza o posto de coleta. “Doei os remédios que foram do meu pai, após o falecimento dele no ano passado, e também entreguei alguns já vencidos”.

O recolhimento e o transporte dos resíduos são feitos uma vez por semana pela empresa Proactiva Meio Ambiente Brasil, que também realiza a coleta das pilhas, baterias e lâmpadas no TCE/SC, além de tudo o que é descartado pela própria Coordenadoria de Saúde. “É a oportunidade de não fazer o descarte errado, já que temos um órgão que possibilita a destinação correta”, ressalta Elaine. 

Enviar conteúdo por e-mailX

Separe os endereços por vírgula