TCE/SC lança campanha para estimular redução de impressão de documentos | Tribunal de Contas SC
  • Enviar por e-mail

Será que todas as impressões que você faz são realmente necessárias? Várias pessoas preferem imprimir documentos para facilitar a leitura, que são descartados após breve utilização. Seja em casa ou no trabalho, a impressão, muitas vezes, é dispensável. Basta que todos nós mudemos nossos hábitos!

A redução do número de impressões passa pela substituição de costumes tradicionais por procedimentos eletrônicos e pelo aperfeiçoamento de atividades rotineiras. A tarefa nem sempre é fácil, mas é necessária para a economia de recursos financeiros e naturais (Saiba Mais).

Para diminuir a quantidade de impressões, você pode fazer a leitura no computador, ajustando o tamanho do texto para melhor visualização, armazenar documentos em dispositivos eletrônicos, como pen drives; disponibilizar arquivos na rede ou intranet.

A atenção deve ser redobrada no local de trabalho. O Tribunal de Contas de Santa Catarina possui impressoras próprias e 54 multifuncionais locadas. O contrato de locação prevê manutenção e abastecimento do toner; o fornecimento de papel é responsabilidade da Instituição. Além do valor mensal do aluguel para todos os equipamentos, que é de R$ 7.667,00, o TCE/SC paga pela quantidade de impressões/fotocópias realizadas: preto e branco custa R$ 0,05 e colorida, R$ 0,40.

De acordo com dados levantados pela Diretoria Geral de Planejamento e Administração (DGPA), de janeiro a setembro deste ano já foram feitas 1.542.115 impressões. Em 2014, foram feitas 1.696.781 e em 2015, 1.787.730, no mesmo período. “O ideal é que o público interno imprima apenas o necessário para o desempenho das suas atividades no TCE/SC”, ressalta o diretor da DGPA, Edison Stieven.

No mês passado, foram contabilizadas 150.286 impressões — 146.572 em preto e branco e 3.714 coloridas. Ao todo, foram destinados R$ 8.814,20. Em relação ao consumo de papel, se todas as impressões/fotocópias fossem feitas em frente e verso, teriam sido usadas 75.143 folhas. Considerando que cada resma custa R$ 17,00, o gasto foi de aproximadamente R$ 2.550,00.

A Corte de Contas, desde 2012, adota medidas com o objetivo de reduzir o consumo de papel. A Portaria Nº TC 0367/2012 determinou providências para redução do uso e reaproveitamento, como a utilização dos sistemas informatizados disponibilizados na rede do Tribunal para geração, transmissão e compartilhamento de documentos e informações. A implantação do processo eletrônico também foi um passo importante, assim como a adoção do papel A4 produzido a base de fibras extraídas da reciclagem do bagaço da cana de açúcar.

A partir de 2014, unidades integrantes da estrutura organizacional do TCE/SC passaram a priorizar uso da fonte Garamond na elaboração de relatórios, votos e demais documentos. Outras ações são relativas às impressoras multifuncionais locadas, que estão em modo econômico de energia e programadas para efetuar impressões em frente e verso.

Apesar disso, o trabalho de conscientização para a economia deve ser constante. “Diante das ações já implantadas pelo Tribunal, não faz sentido reduzir o consumo de papel, com a impressão frente e verso, por exemplo, mas mantermos um número elevado de impressões”, destaca o coordenador do Programa A3P no TCE/SC, auditor fiscal de controle externo Azor El Achkar.

 

Dicas para a saúde

Embora aparelhos eletrônicos como tablets e smartphones sejam cada vez mais comuns, a leitura nestas ferramentas é bastante associada à fadiga visual. Em entrevista à revista Veja Bem, a oftalmologista Keila Monteiro de Carvalho, do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), explica que o cansaço visual é resultado do uso contínuo desses dispositivos sem a observação das necessidades ergonômicas. O que envolve cuidados com o ambiente, postura, equipamentos de trabalho, entre outros.

A leitura em ambientes escuros não é adequada. O ideal é que a pessoa aumente a iluminação para minimizar as diferentes adaptações que o olho precisa fazer da tela em relação ao local. Além disso, textos escuros em fundos claros são mais recomendados. A chamada “síndrome do olho seco” pode ser evitada com o piscar voluntário dos olhos.

Em frente ao computador, a cabeça e o pescoço devem estar retos, braços e ombros relaxados, a tela deve estar ao nível dos olhos do usuário e distante cerca de 70 centímetros. Realizar intervalos de cinco minutos durante a leitura dos textos também é importante.

 

Saiba Mais: Fabricação de papel

Os problemas relacionados à produção de papel não se limitam ao corte de árvores — para cada tonelada são 40 árvores a menos.

 

Todo o processo de fabricação utiliza grandes quantidades de água, energia e gera altos volumes de efluentes líquidos, resíduos sólidos e emissões atmosféricas.

Fonte: Cartilha nacional do Programa da Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P).

Enviar conteúdo por e-mailX

Separe os endereços por vírgula