TCE/SC faz ação de combate ao tabagismo | Tribunal de Contas SC
  • Enviar por e-mail

A Diretoria de Gestão de Pessoas, por intermédio do Programa de Prevenção e Acompanhamento a Dependência do Álcool e Outras Drogas (PROTC), promove nos dias 30 e 31 de maio, ação de conscientização contra o tabagismo. A atividade consistirá na exibição dos filmes “Dois Pesos e duas medidas” e “Fumando Espero” em telão no hall do prédio novo (Saiba mais 1).

O objetivo é promover a saúde e o bem estar por meio de ações educativas voltadas para a divulgação de informações sobre qualidade de vida para os servidores e seus familiares. O setor alerta ainda que o tabagismo é uma doença crônica reconhecida, com tratamento bem estabelecido com abordagem cognitiva, comportamental e farmacológica (Saiba mais 2).

O tema da campanha deste ano do Dia Mundial sem Tabaco, celebrado em 31 de maio, será: Tabaco uma ameaça ao desenvolvimento No Brasil, a campanha é coordenada pelo INCA.

 

 

Saiba mais 1:

Dois Pesos e duas medidas: O filme conta a história do aposentado José Carlos Carneiro que teve suas pernas amputadas por uma doença causada exclusivamente pelo cigarro e entrou com ação para reparação de danos contra a fabricante de cigarros. Embora sua imagem tenha sido estampada nos maços como alerta para os danos causados pelo tabagismo, a Justiça não reconheceu seu direito à indenização. O documentário traz a opinião de especialistas em direito, saúde e políticas públicas com o intuito de promover o debate na sociedade sobre como o Poder Judiciário vem usando pesos e medidas diferentes quando se trata do direito do consumidor tabagista e responsabilidade civil empresarial.
Realização: Aliança de Controle do Tabagismo (actbr.org.br)
Diretor: Rodrigo Gontijo 

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=Z8N5ksPSgkY

 

Fumando Espero: Fumante há 20 anos, a cineasta Adriana L. Dutra decidiu parar com o vício à meia-noite no dia de ano-novo. A partir de 27 de dezembro, ela passou a ser filmada 24 horas por dia durante 15 dias em uma espécie de reality show para analisar suas reações sem o cigarro, mostradas em seu documentário Fumando Espero. Além desta observação, o filme ainda apresenta a história do tabagismo nos séculos XX e XXI, além de colher relatos de diversos fumantes, ex-fumantes e especialistas. 
Com a presença de anônimos e celebridades, como Eduardo Moscovis, Carla Camurati, Scarlet Moon, Miúcha, Rita Guedes, Ney Latorraca e Neville D´Almeida, o documentário foi a forma que Adriana usou para vencer sua luta contra o vício. Tentando uma abordagem cômica, o filme ainda apresenta denúncias, como o caso de adolescentes que não encontram problemas para comprar o cigarro, e desvenda a relação dos plantadores de fumo e os trabalhadores rurais. 

Ano de produção: 2008

Diretor: Adriana L. Dutra

Fonte: https://www.guiadasemana.com.br/cinema/sinopse/fumando-espero

 

 

Saiba mais 2: Ação de conscientização contra o tabagismo:

Com base nessa premissa da OMS, a DGP/CASS através do PROTC – Programa de Prevenção e Acompanhamento a Dependência do Álcool e Outras Drogas no TCE/SC lembram que o tabagismo é uma doença crônica reconhecida, com tratamento bem estabelecido através da abordagem cognitiva, comportamental e farmacológica.

Além do impacto direto na saúde, a produtividade de quem fuma ou trabalha próximo de fumantes fica comprometida e gera alto custo para as empresas.

 

CIGARRO PODE AFETAR O DESEMPENHO NO AMBIENTE DE TRABALHO

Fumar não faz bem à saúde. A constatação é um senso comum, mas alguns dados vêm provocando novos questionamentos sobre a maior intensidade do perigo que o tabaco traz à saúde, chamando a atenção, também, no ambiente de trabalho.

Recentemente, a revista Tobacco Control, do grupo do British Medical Journal (BMJ), divulgou uma pesquisa da Universidade do Estado de Ohio, que afirma que um fumante custa, em média, quase US$ 6 mil a mais por ano nas empresas, comparado a quem não fuma. O valor foi calculado em cima dos motivos pelos quais se justifica o alto custo: o

absenteísmo dos trabalhadores em função de consultas médicas diante de doenças, perda de produtividade nas tarefas habituais e as inúmeras pausas para fumar durante a jornada diária.

A nicotina é apenas uma das cinco mil substâncias presentes no cigarro e provoca não só a dependência química, fazendo com que o fumante tenha necessidade orgânica de fumar, como uma dependência psicológica, quando o fumante usa o cigarro para provocar sensações de tranqüilidade ou de êxtase. No ambiente corporativo, essas características ficam mais evidentes.

 

TABAGISMO EM NÚMEROS

População Fumante – Mundo:

• A OMS estima que um terço da população mundial adulta, isto é, 1 bilhão e 200 milhões de pessoas (entre as quais 200 milhões de mulheres), sejam fumantes

• Cerca de dois terços da população fumante do mundo vive em dez países: China (que concentra aproximadamente 30%), Índia (10%), Brasil, Estados Unidos, Japão, Rússia, Alemanha, Turquia, Indonésia e Bangladesh

• Cem milhões de mortes foram causadas pelo tabaco no século XX

Previsão

• As mortes relacionadas ao uso do tabaco subirão para mais de um bilhão de mortes no século XXI; Esta previsão significa 10 vezes mais mortes do que se previa no século passado

• Chegaremos em 2030 somando mais de oito milhões por ano, e 80% desses óbitos acontecerão nos países em desenvolvimento

• Metade dessas mortes vai atingir indivíduos em idade produtiva (entre 35 e 69 anos)

 

TABAGISMO NO BRASIL

• No início dos anos 90, 35% da população brasileira com mais de 15 anos era fumante

• Em 2007 o índice de fumantes baixou para 16,4%, (pesquisa - Ministério da Saúde)

• De cada 100 pacientes que desenvolvem câncer, trinta são fumantes

• No caso daqueles pacientes com câncer no pulmão, esse índice salta para 90% do total

 

MORTES E PROBLEMAS OCASIONADOS PELO TABAGISMO – BRASIL

• No Brasil, estima-se que, a cada ano, 200 mil brasileiros morram precocemente devido às doenças causadas pelo tabagismo

• O tabaco é a segunda droga mais consumida entre os jovens, no mundo e no Brasil, e isso se deve às facilidades e estímulos para obtenção do produto, entre eles o baixo custo, a curiosidade pelo produto estimulada pela imitação do comportamento do adulto e a promoção e o marketing de produtos derivados do tabaco

• Noventa por cento dos fumantes iniciaram seu consumo antes dos 19 anos de idade, faixa em que o indivíduo ainda se encontra na fase de construção de sua personalidade

 

CUSTOS, PREJUÍZOS E TRATAMENTOS

• O poder público gasta com o tratamento de fumantes duas vezes mais do que arrecada com os impostos do cigarro, sem contar os prejuízos de empresas privadas

• O tabaco causa prejuízos de mais de 200 bilhões de dólares ao ano no mundo

 

CUSTOS DOS FUMANTES PARA O SUS

• O cigarro provoca um prejuízo anual para o sistema público de saúde de, pelo menos, R$ 338 milhões, o equivalente a 7,7% do custo de todas as internações e quimioterapias no País

• Quase 8% dos gastos do sistema vão para doenças ligadas ao cigarro e são disponibilizados para hospitalizações e terapias quimioterápicas em pacientes de 35 anos ou mais, vítimas de 32 doenças comprovadamente associadas ao tabagismo (alguns tipos de câncer, problemas respiratórios e circulatórios)

• O estudo revelou que a terapia de um paciente com câncer custa, em média, R$ 29, mil. O tratamento de câncer do esôfago, R$ 33,2 mil, e o de laringe, R$ 37,5 mil. Se todos os casos novos desses três tipos de câncer causados pelo cigarro procurarem o sistema público, o gasto calculado é de R$ 1,12 bilhão. Esse levantamento foi feito através da trajetória de fumantes internados em dois centros de referência para tratamento de câncer e problemas cardíacos: o Instituto Nacional de Câncer (Inca) e o Instituto Nacional de Cardiologia (INC)

• Estima-se que 22,4% da população brasileira fume

• O preço do cigarro brasileiro é o sexto mais barato do mundo

 

DOENÇAS RELACIONADAS AO TABAGISMO

• O fumante é um dependente químico e está sujeito a mais de 2.450 doenças;

• O tabagismo é diretamente responsável por 90% das mortes por câncer de pulmão, 25% das mortes por doença coronariana, 85% das mortes por doença pulmonar obstrutiva crônica e 25% das mortes por doença cerebrovascular;

• Outras doenças que também estão relacionadas ao uso do tabaco são aneurisma arterial, trombose vascular, úlcera do aparelho digestivo, infecções respiratórias e impotência sexual no homem.

 

ASPECTOS ECONÔMICOS DO TABACO

O tabagismo gera uma perda mundial de 200 bilhões de dólares por ano, sendo que a metade dela ocorre nos países em desenvolvimento;

Segundo estimativas do Banco Mundial, é o resultado da soma de vários fatores, como o tratamento das doenças relacionadas ao tabaco, mortes de cidadãos em idade

produtiva, maior índice de aposentadorias precoces, aumento no índice de faltas ao trabalho e menor rendimento produtivo;

O Banco Mundial calculou que, para colocar em andamento um pacote essencial de intervenções em saúde pública em que o controle do tabagismo esteja incluído, os governos deveriam gastar em média 4 dólares per capita nos países de baixa renda e 7 dólares per capita nos países de renda média.

Nos países ditos de economia ou rendimento intermédio, as receitas fiscais provenientes do tabaco são mais de 4.000 vezes superiores às despesas com a luta antitabaco e nos países de fraco rendimento são mais de 9.000 vezes superiores, revela ainda o estudo;

A maioria dos países recolhe 500 vezes mais dinheiro nos impostos sobre produtos de tabaco a cada ano do que gastam em esforços de controle do tabagismo.

Fonte: INCA

 

Enviar conteúdo por e-mailX

Separe os endereços por vírgula