• Enviar por e-mail

     “Para promover uma mudança na sociedade é necessário aprender e aplicar as lições de cidadania, de conscientização e do bom uso do dinheiro público”, defendeu o presidente do Tribunal de Contas de Santa Catarina (TCE/SC), conselheiro Wilson Rogério Wan-Dall, na solenidade de entrega dos prêmios aos três primeiros classificados na etapa estadual do Concurso de Redação “Tribunal de Contas — orientar e fiscalizar a aplicação do dinheiro público em favor da sociedade”, no início da sessão do Pleno desta quarta-feira (24/11). “É preciso fiscalizar”, convocou a sociedade o vencedor do concurso, João Adoilso Schiessl, que, já no título da sua redação, sintetizou a principal mensagem da iniciativa do TCE/SC, desenvolvida em 854 escolas do ensino médio da rede pública estadual, com o apoio técnico operacional da Secretaria de Estado da Educação (SED).  
     Aluno da Escola de Educação Básica Estanislau Shumann, de Bela Vista do Toldo — cidade com cerca de 6 mil habitantes, do Planalto Norte, a 382km de Florianópolis — João Schiessl, recebeu, das mãos do conselheiro Wan-Dall e do secretário da Educação, Silvestre Heerdt, o certificado de classificação, um microcomputador — desktop e monitor LCD — além de uma máquina fotográfica digital — prêmio por ter se classificado já na fase anterior (regional) do concurso. A professora Luciane Tischler Rudnick, que orientou o autor do trabalho vencedor, foi agraciada com os mesmos prêmios, em reconhecimento ao papel fundamental dos professores na coordenação das atividades e dos debates, em sala de aula, que culminaram com a elaboração das redações para o concurso.
     Na mesma solenidade, os alunos classificados em 2º e 3º lugares, Dalcielli de Souza — que teve como professor orientador Almir João Luiz —, da Escola de Educação Básica Prefeito Germano Brandes Jr., de Indaial, e John Bryan Camprestini — orientado pela professora Cleusa Aparecida Fogaça da Silva —, da Escola de Ensino Médio Ilse Karsten, de Blumenau, respectivamente, receberam um netbook e uma máquina fotográfica digital, cada um, a exemplo dos seus professores orientadores.
     A premiação dos autores dos três melhores trabalhos e seus professores orientadores foi o ponto alto do Concurso de Redação — lançado pelo Tribunal de Contas de Santa Catarina, no último dia 30 de agosto, dentro do projeto “TCE na Escola” (saiba mais). Mostrar como é o que faz o órgão responsável por fiscalizar a gestão pública catarinense — do Estado e dos 293 municípios catarinenses — e aproximá-lo da sociedade, de olho num público que poderá atuar como agente multiplicador, disseminando na família, na escola e nas suas comunidades a importância de se avaliar a qualidade dos gastos públicos, é a principal meta da iniciativa.
     O secretário da Educação, Silvestre Heerdt, enalteceu a iniciativa e os resultados do concurso de redação promovido com o apoio técnico e operacional da SED. “Através da educação se prepara o jovem para o exercício da cidadania, para o exercício profissional e, também, para o desafio que é competir — o vencedor surge de uma competição”, disse o secretário, ao defender a continuidade do projeto do Tribunal, a exemplo da professora orientadora do primeiro colocado no concurso, Luciane Tischler Rudnick. “A escola é um veículo de informação e conhecimento, mas precisa da união de esforços do poder público e da sociedade em geral para alcançar seus objetivos”, salientou, ressaltando a importância da parceria entre entidades públicas e a sociedade para que a educação cumpra seu papel na formação de novos cidadãos.
     Para o conselheiro Wan-Dall, as afirmações feitas pelo secretário e pela professora orientadora corroboram com a sua percepção sobre o sucesso da iniciativa. “Tenho clara convicção de que os objetivos do projeto foram plenamente atingidos”, disse. Ele informou, com base em números repassados pela SED, que cerca de 20 mil alunos do ensino médio da rede pública estadual participaram do concurso. “Foi a expressiva participação dos estudantes e o nível de conscientização demonstrado nas redações, o qual se levado à prática, impactará positivamente na sociedade”, enfatizou.
     Durante o ato, também foram premiados os dois alunos — e seus respectivos professores orientadores — da Grande Florianópolis, que tiveram suas redações selecionadas na etapa regional do concurso. Shayany Aline Padilha, da Escola de Educação Básica Cecília Rosa Lopes, de São José, e Thaise Pereira Martins, do Instituto Estadual de Educação, de Florianópolis, receberam uma máquina fotográfica digital, cada uma. Os seus professores orientadores, Giovana de Oliveira Quadros e Maura Terezinha Girardi, foram contemplados com os mesmos prêmios.
     Segundo informou o presidente Wan-Dall, durante a solenidade no plenário do TCE/SC, as Gerências Regionais de Educação (GEREDs) serão responsáveis pela entrega dos prêmios — câmeras fotográficas — aos outros 29 alunos e aos seus respectivos professores orientadores, que tiveram suas redações selecionados na etapa regional do concurso de redação (veja lista dos selecionados na etapa regional).

Novos fiscais
     Para o aluno vencedor, que cursa a 4ª série do Ensino Médio Integrado à Educação Profissional, com formação de técnico em Gestão da Propriedade Rural, participar do concurso foi uma oportunidade de conhecer o trabalho do TCE/SC, perceber sua importância e compreender que os órgãos responsáveis por fiscalizar como os agentes públicos aplicam o dinheiro — que cada cidadão entrega aos governos na forma de impostos — precisam de parceiros. “A eleição dos nossos representantes é só o começo. Depois é preciso acompanhar seu trabalho, cobrando deles a boa aplicação dos recursos públicos, como a sociedade espera”, explica João Schiessl, que completa 18 anos no próximo dia 30 de novembro. “A gente não pode se acomodar. Temos que fazer a nossa parte”, reforça a segunda colocada, Dalcielli de Souza, ao destacar que essa foi a principal lição que tirou da experiência. “Hoje eu também sei que existe um órgão responsável pela fiscalização das contas públicas a quem eu posso recorrer se encontrar alguma irregularidade”, diz a aluna de Indaial.
     “O poder é do povo e se ele não faz a sua parte não existe democracia”, completa, John Bryan Camprestini — terceiro colocado. Jonh viu no concurso mais que uma ocasião para entender o trabalho do TCE/SC. “Foi uma oportunidade para começar a me preparar para a carreira política que pretendo seguir. Quero ser deputado, mas o que eu pretendo mesmo atingir é a Presidência da República”, diz determinado, ao adiantar que continuará buscando informações sobre a gestão pública. “Vou me inteirar no site do TCE/SC e em outras fontes, mas, também, quero acompanhar de perto a aplicação do dinheiro público”, explica demonstrando que entendeu qual é o papel do cidadão para garantir a qualidade dos gastos públicos.
        
Lições de cidadania
     As redações dos três primeiros colocados são uma amostra do resultado prático do concurso e de como os alunos — os novos “fiscais” do dinheiro público — absorveram a mensagem levada às escolas pelo projeto do TCE/SC. Para o primeiro colocado, João Adoilso Schiessl, o Tribunal de Contas — responsável pela fiscalização do dinheiro público e por orientar os governantes para uma boa gestão — “tem muita importância na vida do cidadão, pois avalia se os serviços públicos estão proporcionando boa qualidade de vida às pessoas, como saúde, transporte e educação”. Mas seu texto traz um alerta sobre a necessidade de a sociedade participar: “Cabe a cada um de nós ajudar na fiscalização e na cobrança de recursos para a melhoria da nossa qualidade de vida”.
     Dalcielli de Souza, a segunda colocada, concorda. “Com a nossa ajuda talvez amenizemos um pouco alguns problemas de nosso cotidiano: um posto de saúde ou hospital sem médicos e enfermeiros, escolas sem professores qualificados, ruas mal iluminadas e tantas outras deficiências”, explica, ao reconhecer que o Tribunal precisa de parceiros. “Hoje posso entender o quanto é importante o papel do TCE para a sociedade. Sem ele os desvios seriam ainda mais absurdos e não teríamos controle algum sobre os gastos públicos”, salienta a dissertação de Dalcielli. 
     A redação do terceiro colocado no concurso, John Bryan Campestrini, reforça a ideia de cidadania, de controle social e o papel do Tribunal de Contas — “fazer transparecer as ações de nossos representantes” — no contexto da democracia representativa. “Para que se possa fazer transparecer, é necessária a iniciativa popular. O povo tem de ir à luta. Investigar a fundo, cobrar dos políticos o cumprimento das propostas de campanha, inteirar-se das decisões políticas do país. Transparência é uma junção composta pela representação política, pelo TCE e pelo povo”, conclui, ao ressaltar que esse tripé é fundamental para atender às expectativas do cidadão brasileiro por um resultado confiável e transparente da gestão pública.
        
Passeio cultural
     O 1º colocado no concurso também foi contemplado com uma visita cultural na Capital. Ele chegou a Florianópolis, na segunda-feira (23/11) à noite, junto com os pais, 13 colegas de turma, o diretor da escola, Adilson Poloniski, e a sua professora orientadora, Luciane Tischler Rudnick. Os 2º e 3º colocados partiram juntos do Médio Vale do Itajaí, com os seus professores orientadores e responsáveis, e se integraram ao grupo que veio do Planalto Norte, no Centro de Treinamento da EPAGRI, no Bairro Itacorubi, onde estão hospedados.
     Todos participam da programação cultural, que, na quarta-feira (24/11) contemplou visitas ao Forte Sant Ana — Museu de Armas Lara Ribas — Mercado Público, Antiga Alfândega, Igreja São Francisco, Praça XV, Museu Palácio Cruz e Souza e Catedral Metropolitana, no Centro de Florianópolis.
     Depois da solenidade de premiação, o grupo assistiu à projeção de um vídeo e uma palestra sobre a missão do Tribunal de Contas do Estado — ministrada pelo diretor-executivo do Instituto de Contas, João Luiz Gattringer. Foi uma oportunidade para os alunos e professores — que, antes da elaboração das redações, debateram temas como a fiscalização das contas públicas pelo TCE/SC e pela sociedade, cidadania e controle social, em sala de aula — conhecerem de perto o trabalho do órgão responsável por fiscalizar as contas públicas.
     A programação ainda incluiu, na quarta-feira, uma visita à sede da Assembleia Legislativa do Estado. Na quinta-feira (25/11), estão previstas visitas à base do Projeto TAMAR — Programa Brasileiro de Conservação das Tartarugas Marinhas, vinculado à Diretoria de Biodiversidade do Instituto Chico Mendes da Biodiversidade-ICMBio, órgão do Ministério do Meio Ambiente —, em Santa Catarina, localizado na Barra da Lagoa; às praias de Jurerê, Mole e Joaquina; e à Lagoa da Conceição.   
  
Regulamento
     As redações classificadas em 1º, 2º e 3º lugares foram selecionadas por uma comissão técnica composta por representantes do TCE/SC e da SED. Foram avaliadas 34 dissertações — gênero definido pelo regulamento do concurso —, 33 escolhidas pelas Gerências Regionais de Educação (GEREDs) e uma pelo Instituto Estadual de Educação, de Florianópolis. Adequação ao tema, qualidade da redação e originalidade e ineditismo foram os critérios que nortearam a avaliação dos trabalhos. 
     Segundo as normas do concurso, as atividades que antecederam a produção das redações em sala de aula foram orientadas por um professor, de qualquer disciplina enriquecida pelo caráter interdisciplinar. A proposta foi considerar aspectos históricos, sociais, de direitos e deveres, do exercício político e do fortalecimento da cidadania.
     Da parte do Tribunal, o projeto foi desenvolvido com recursos próprios e do Programa de Modernização do Sistema de Controle Externo dos Estados, Distrito Federal e Municípios Brasileiros (Promoex).

Saiba mais sobre o TCE na Escola:
1. O projeto “TCE na Escola” quer aproximar o Tribunal de Contas de Santa Catarina dos jovens e mostrar o quanto o trabalho da Instituição — como fiscal da execução dos orçamentos públicos do Estado e dos 293 municípios catarinenses — tem reflexos no seu cotidiano, no de sua família e no bem estar de toda sociedade. A proposta é investir na formação das novas gerações e incentivar o exercício da cidadania e do controle social.
2. O projeto teve como principal instrumento o concurso de redação, que chamou a atenção dos estudantes do ensino médio da rede pública do Estado sobre a importância de acompanhar e fiscalizar os gastos públicos e foi desenvolvido com o apoio da Secretaria de Estado da Educação.
3. Para apoiar as atividades, o TCE/SC também lançou o gibi “No Fim das Contas...” — uma história em quadrinhos que mostra em linguagem acessível como o órgão fiscaliza as contas públicas e incentiva a parceria do jovem leitor. Distribuída nas escolas da rede pública, a publicação ajudou a estimular os debates, em sala de aula, que culminaram com a elaboração da redação. O potencial da linguagem dos quadrinhos foi usado para facilitar a compreensão dos alunos sobre o uso do dinheiro público em funções de governo como saúde, educação, segurança pública, transporte e saneamento.


VENCEDORES DA ETAPA ESTADUAL DO CONCURSO DE REDAÇÃO “TRIBUNAL DE CONTAS – ORIENTAR E FISCALIZAR A APLICAÇÃO DO DINHEIRO PÚBLICO EM FAVOR DA SOCIEDADE”


CLASSIFI-CAÇAO  ALUNO  MUNICÍPIO DE RESIDÊNCIA ESCOLA GERED PROFESSOR
1º Lugar  João Adoilso Schiessl Bela Vista do Toldo Escola de Educação Básica Estanislau Shumann Canoinhas Luciane Tischler Rudnick
2º Lugar  Dalcielli de Souza Indaial Escola de Educação Básica Prefeito Germano Brandes Jr Timbó Almir João Luiz
3º Lugar  John Bryan Campestrini Blumenau Escola de Ensino Médio Ilse Karsten Blumenau Cleusa Aparecida Fogaça da Silva
Fonte: www.tce.sc.gov.br

    VENCEDORES DA ETAPA REGIONAL DO CONCURSO DE REDAÇÃO “TRIBUNAL DE CONTAS – ORIENTAR E FISCALIZAR A APLICAÇÃO DO DINHEIRO PÚBLICO EM FAVOR DA SOCIEDADE”

 GERED ALUNO MUNICÍPIO DE RESIDÊNCIA ESCOLA PROFESSOR ORIENTADOR
1 Araranguá Emanuela da Silveira Souza Passo de Torres Escola de Educação Básica Governador Ildo Meneghetti Lucimara Aparecida da Silva
2 Blumenau John Bryan Campestrini Blumenau Escola de Ensino Médio Ilse Karsten Cleusa Aparecida Fogaça da Silva
3 Braço do Norte Juliana Lourenço Luzinda São Martinho Escola de Educação Básica Fridolino Hülse Estela Loch
4 Brusque Fernanda Roberti Canelinha Escola de Educação Básica Bartolomeu da Silva Leolíbia Linden
5 Campos Novos Iasmini da Silva Campos Novos Escola de Educação Básica Paulo Blasi Sônia Aparecida Sutil
6 Canoinhas João Adoilso Schiessl Bela Vista do Toldo Escola de Educação Básica Estanislau Schumann Luciane Tischler Rudnick
7 Chapecó Jonathan Daniel Valentini Sul Brasil Escola de Educação Básica Helio Wasum Sandra Maria Girardi
8 Concórdia Samara Diana da Silva Irani Escola de Educação Básica Dom Felício Cesar da Cunha Vasconcelos Maria Inez De Bastiani
9 Criciúma Patricia Marcos Paes Criciúma Escola de Educação Básica Ignácio Stakowski Vidal da Silva dos Santos
10 Curitibanos Luana Ferreira Curitibanos Escola de Educação Básica Sólon Rosa Sérgio Fernando Maciel Correia
11 Dionísio Cerqueira Daniela Gilvana Perin São José do Cedro Escola de Educação Básica Serafim Bertaso Luizane Schneider
12 Grande Florianópolis Shayany Aline Padilha São José Escola de Educação Básica Cecília Rosa Lopes Giovana de Oliveira Quadros
13 Ibirama Tainara Persuhn Apiúna Escola de Educação Básica São João Bosco Marilu Petris
14 Grande Florianópolis Thaise Pereira Martins Florianópolis Instituto Estadual de Educação Maura Terezinha Girardi
15 Itajaí Vanesa Souza da Silva Camboriú Escola de Educação Básica Profª Maria Terezinha Garcia  Fátima Rosemari dos Santos Machado
16 Itapiranga Aline Specht São João do Oeste Escola de Educação Básica Madre Benvenuta Lisane Maria Rambo Werlang
17 Ituporanga Joziane Leal Leoberto Leal Escola de Educação Básica Bertino Silva  Elaine Flávia Marian
18 Jaraguá do Sul Marcelo Dall’agnol Jaraguá do Sul Escola de Educação Básica Roland Harold Dornbusch Vilma HemKemeier
19 Joaçaba Carolina da Costa Catanduvas Escola de Educação Básica “Irmã Wienfrida”  Vânia Salete Moreira Miotto
20 Joinville Deivid Renato Carvalho Joinville Escola de Educação Básica Profª Cecília Bittencourt Ferreira Rute Silvia de Aviz
21 Laguna Sthephany Dutra de Aguiar  Imbituba Escola de Educação Básica João Guimarães Cabral  Ana Cristina G. Cardoso
22 Mafra Débora Carin Hüttl São Bento do Sul Escola de Educação Básica Frederico Fendrich Leci Micznikowski
23 Maravilha Ângela Isaias Romelândia Escola de Educação Básica Prof. Hermínio Heusi da Silva Simone Berwian dos Santos

24 Palmitos Janaína Roberta Worma Águas de Chapecó Escola de Educação Básica Irineu Bornhausen
 Jussara Ebertz
25 Quilombo Elevelton Alencar Alves  União do Oeste Escola de Educação Básica São Luiz  Marines Bernardete Dal Bello Alberti

26 São Joaquim Franciéli Melo Artismo São Joaquim Escola de Educação Básica Manoel Cruz Carmen Lúcia Souza Ricardo
27 São Lourenço do Oeste Ana Laura Aiolfi Padilha  São Lourenço do Oeste Escola de Educação Básica Sóror Angélica Maria Vilmair Pereira Almeida
28 São Miguel do Oeste Marcelo Augusto Berti Descanso Escola de Educação Básica Everardo Backheuser Maria Cristiane Sachetti Torcatto
29 Seara Daiane Regina Alflen Seara Escola de Educação Básica General Liberato Bittencourt Clarice Christmann Canal
30 Taió Bruna Siegel Santa Terezinha Escola de Ensino Fundamental Dom Pedro I Robson Ferreira
31 Timbó Dalcielli de Souza Indaial Escola de Educação Básica Prefeito Germano Brandes Jr.  Almir João Luiz
32 Tubarão Melissa da Silva Maria Imbituba Escola de Ensino Médio Dite Freitas Valsalete Neves Pereira
33 Videira Maria Isabel Nezi Favarim Arroio Trinta Escola de Educação Básica Governador Bornhausen Lídio Luiz Manenti
34 Xanxerê Sibele Maria Nalin Soligo Xaxim Escola de Educação Básica Profª Neusa Massolini Silvana Pedroso de Morais Fereira
Nota: As Gerências Regionais de Educação de Caçador, Lages e Rio do Sul não encaminharam redações.
Fonte: www.tce.sc.gov.br

Enviar conteúdo por e-mailX

Separe os endereços por vírgula